SET/DEZ 2019

Loading...

Acabaram-se as férias. Sabemo-lo porque as uvas começam a pintar-se na ramada que abriga a entrada do fAUNA. A nossa rentrée é acompanhada pelo trabalho das vindimas que propaga pelo ar um cheiro adocicado. Este cheiro desperta na memória de qualquer minhoto a lembrança das canções de fim de tarde, cantadas no final de uma jornada de vindimas. Pois também a cantar faremos a nossa rentrée, em setembro, ao som das canções do Carlos Marques que se apresenta em versão redobrada. Primeiro com o seu espetáculo No Fio de Azeite, e depois, numa sessão de contos muito especial, o Conto de Encontro, acompanhada pelo projeto Estranhofone, do Samuel Martins Coelho e do César Estrela.

Ainda em setembro, e para comemorar a chegada do Outono e o final de um ciclo ligado à música e à matéria, faremos a apresentação do último concerto – Mater ou da Negação de Ser: Final, a que juntará mais uma vez o nosso Rui Souza e o projeto Estranhofone para mais uma deambulação sobre as questões do ser.

Em outubro abrimos o mês com o segundo Conto de Encontro, que desta vez coloca em diálogo as histórias do Luís Carmelo e o violino do Samuel Martins Coelho.

Nos dias 7, 8 e 9 de novembro é a vez do Teatro da Didascália estrear, mas agora fora de portas, a sua mais recente criação, o espetáculo Fronteira (nome provisório), na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. Mas logo após esta breve saída, voltaremos ao fAUNA para no dia 30 recebermos a ACERT, que nos chega de Tondela, com o seu espetáculo Para ti, Sophia, construído a partir do texto a floresta, da Sophia de Mello Breyner Andresen.

Antes de acabar o ano, ainda haverá tempo para receber o Projeto Ruínas com o seu Baby Blues, mantendo o humor negro dos universos psicológicos familiares que caracteriza o trabalho desta companhia, residente em Montemor-o-Novo. E, para celebrar o encerramento da nossa programação em 2019, daremos uma festa para comemorar o 11º aniversário do Teatro da Didascália. O momento ideal para abrirmos as portas de casa – o fAUNA. Reunirmos todas e todos os companheiros que têm colaborado artisticamente connosco ao longo dos anos, artistas, público, amigos e amigas. Serão todas e todos muito bem-vindos a esta festa, que já não pode ser uma surpresa, mas que terá surpresas.

Programa